Even as we seek a more flexible general education program, we remain cognizant of our responsibility to educate morally responsible citizens and leaders.
Harvard Curricular Review, http://www.fas.harvard.edu/curriculum-review/

O raciocínio ético e deontológico desempenha o mesmo papel que as competências quantitativas na formação humanística. Cada vez mais os problemas com que nos confrontamos ultrapassam as fronteiras das disciplinas tradicionais. Os alunos devem ser encorajados a explorar tópicos interdisciplinares e aprenderem a ser confrontados com as controvérsias intelectuais que este exercício naturalmente coloca.
As competências de raciocínio ético e deontológico permitem confrontar os alunos com as bases das ciências sociais e humanas, normalmente através de uma perspectiva histórica e filosófica das ideias e do seu desenvolvimento ao longo dos tempos. Esta área permite ainda introduzir os alunos às principais teorias e técnicas de análise nas ciências sociais, da economia à sociologia, sustentando a interdisciplinaridade e a formação de banda larga.

Recomendamos a frequência obrigatória de um número mínimo de unidades de crédito (5 a 7,5 ECTS) na aprendizagem formal raciocínio moral a todos os alunos da UMa independentemente da sua experiência ao nível do ensino secundário.