Em Junho de 1999 os ministros de 29 países Europeus com a tutela da Educação Superior reuniram-se em Bolonha para definir as bases para uma área de Ensino Superior Europeu até 2010. Na Declaração de Bolonha os ministros reafirmaram as suas intenções: adoptar um sistema de dois ciclos (pré-graduado e graduado) que conduzam a graus comparáveis e legíveis e em que o primeiro ciclo seja relevante para o mercado de trabalho europeu; estabelecer um sistema de transferência e acumulação de créditos (ECTS); definir as dimensões Europeias de Educação Superior, removendo obstáculos à mobilidade e ao reconhecimento e certificação de habilitações. Na certeza que estes objectivos necessitavam de acompanhamento os ministros definiram que os objectivos definidos na declaração de Bolonha deveriam ser aferidos periodicamente em reuniões de 2 em 2 anos (no que ficou conhecido como Processo de Bolonha).